Biografia

Luísa Tender nasceu no Porto, onde estudou piano com Anne-Marie Mennet, Pedro Burmester e Helena Sá e Costa. Entre 1997 e 2000, foi aluna de Vitalij Margulis em Los Angeles; e posteriormente de Irina Zariskaya, no Royal College of Music em Londres, onde obteve o grau de Master of Music. Foi também aluna de Marian Rybicki e recebeu o Diplôme Supérieur d’Exécution em piano na École Normale de Musique de Paris.

O seu primeiro CD (Bach and Forward, edição de autor, Londres 2009) foi Escolha do Mês na revista britânica Classical Music. O seu segundo trabalho discográfico, Página Esquecida, um cd duplo com obras portuguesas para violoncelo e piano com Bruno Borralhinho (Dreyer & Gaido, Berlim, 2009), recebeu também os melhores elogios em publicações da área da Música (Fanfare, Strings Magazine, Das Orchester, entre outras).

 

Gravou a integral das sonatas para piano de J. D. Bomtempo (Naxos/Grand Piano, 2019), um trabalho que teve grande destaque na imprensa internacional especializada (Ritmo, Music Web International, Stretto, Musikalifeiten). A Revista espanhola Ritmo dedicou-lhe um longo artigo de capa intitulado «Tiempo para Bomtempo – Luísa Tender». Luísa publicou ainda, em co-autoria com Manuel Pedro Ferreira, um álbum didáctico multimédia: O pescador de sons (Lisboa, CESEM, 2019). A propósito de um dos seus concertos, o London Independent descreveu-a como «a natural Beethovenian».

Foi durante dois anos lectivos assistente convidada na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo do Porto (ESMAE). Actualmente, reside em Lisboa e é Professora Titular de Piano na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco (ESART). É presidente da assembleia-geral da EPTA-Portugal (European Piano Teachers Association).

Luísa Tender foi, durante os anos da sua formação, bolseira da Fundação Calouste Gulbenkian e do Royal College of Music. É investigadora na área da Educação e Desenvolvimento Humano no CESEM (Universidade NOVA de Lisboa)